quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Assuntos do Grau 31 (Tribunal da Santa Vehme)

     Entre os estudos do Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador ou Grande Juiz Comendador) está a descrição e o entendimento da Santa Vehme, ou Santa Veheme (em alemão Vehmgericht), também chamado Liga da Corte Sagrada.
     Esse Soberano Tribunal teve sua origem relacionada ao período da Europa medieval no qual ocorreram diversas migrações e invasões dos povos bárbaros para o território de Roma.
   Paulatinamente, o Império Romano entrou em decadência,  com isso seus estatutos, instituições e formas de administrar a sociedade foram, em grande parte, desintegrados, resultando que, em diversas áreas do Antigo Império, se espalhassem a criminalidade, a desordem e a ilegalidade. 
     A Santa Vehme (ou Santa Feme) nasce nesse contexto, como um  conjunto de tribunais secretos, organizados com o objetivo de reprimir as desordens e os crimes. Seus membros tinham como tarefa a aplicação sumária da sua justiça sobre os considerados culpados.
     Esse tribunal surgiu inicialmente no período do reinado de Carlos Magno (768 d.C. a 814 d.C.), entrando posteriormente em declínio. 
     A Santa Vehme ressurgiu no século XII, na região da Westfália, especialmente na cidade de Dortmund, na atual Alemanha. Seus juízes tinham o título de franco-juízes e eram desconhecidos. Também eram sigilosos: o transcorrer do processo, os  nomes dos acusadores e a sentença. 
     Os julgamentos ocorriam sob a invocação divina e visavam também coibir os delitos cometidos contra a Igreja, daí a denominação de "Santa". Já o vocábulo "vehme" origina-se do alemão e significa "condenar".
    A principal pena aplicada pelos tribunais fêmicos era o enforcamento, sendo comum se afirmar que a forca era tão mais alta, quanto mais alta fosse a posição social do condenado. 

O enforcamento era sentença comum nos Tribunais Fêmicos.
    Com o fim da Idade Média e a formação dos estados nacionais, os países recém-criados consolidaram poderes judiciários organizados e independentes. Com isso, os tribunais fêmicos perderam progressivamente espaço para a atuação e a razão de existirem.

2 comentários:

  1. Comandante-em-Chefe, Ir. Sacramento, Consistório, Nº 1
    Mais uma vez, meu caro Comandante, você nos brinda com sua cultura e estudo sobre nosso Corpo Maçônico. Você tem sido o pioneiro nesse trabalho, ocasião que faço breve comenetário. Nossa Pátria se recente da falta do Soberano Tribunal da Santa Vehme. Excelente trabalho, ilustrativo e de grande saber.
    Receba, assim, o minha gratidão, pelo envio dessa peça de arquitetura.
    Grande Inspetor Geral, Ir. Sangenis, Membro Efetivo do Consistório, Nº 1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Irmão Sangenis, obrigado pelo apoio e pela participação.
      Receba nosso tríplice abraço.

      Excluir

A ADMINISTRAÇÃO DO CONSISTÓRIO Nº 1 AGRADECE A SUA PARTICIPAÇÃO.