quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Os Graus Simbólicos e as fases biológicas da vida.

    No Rito Escocês Antigo e Aceito, os três primeiros graus (Graus de Aprendiz, de Companheiro e de Mestre) fazem alusão às três fases do ciclo biológico da vida humana (nascimento e juventude, crescimento e maturidade, e velhice e morte).
ciclo da vida
  Simbolicamente, é possível compreender o Grau 1 (Aprendiz Maçom) como uma referência à fase inicial da vida, a qual inclui: o nascimento, a infância e a juventude.
  A simbologia do 1º Grau inclui elementos simples e de fácil entendimento, a fim de facilitarem ao neófito os primeiros contatos com o ensinamento maçônico.

   No Grau 1 são apresentados ao Aprendiz Maçom símbolos fundamentais, como: as ferramentas (a régua, o compasso, o esquadro, a corda etc.), os corpos celestes (a Lua, o Sol, a Terra etc.), os princípios da Ordem (Igualdade, Liberdade e Fraternidade), além da analogia da auto-construção moral ao trabalho de pedreiro
Os símbolos apresentados ao Aprendiz Maçom estão associados
ao trabalho braçal, à inocência e aos elementos da natureza. 

   O Grau 2 (Companheiro Maçom) é uma fase do aprendizado maçônico associado ao crescimento e à chegada do Homem à maturidade.
    Os símbolos do 2º Grau, da mesma forma que o símbolos do Grau 1, estão relacionados ao ofício da construção civil, porém são mais complexos.
    No Grau de Companheiro, os ensinamentos e os símbolos tem o objetivo de ressaltar a força e o vigor que o Homem alcança ao atingir o esplendor da vida física.
    Ao Companheiro Maçom são apresentadas as antigas sete artes e ciências liberais (Gramática, Retórica, Lógica, Aritmética, Geometria, Astronomia e Música), além dos símbolos relativos ao Grande Arquiteto do Universo e ao Conhecimento.
   No Grau 3 (Mestre Maçom), o ciclo da vida, iniciado na Câmara de Reflexões, se completa, através do declínio fisiológico do Homem e, em seguida, sua morte.
    No Grau de Mestre Maçom são destacados os símbolos da decrepitude, da morte e do renascimento. Estes símbolos, em conjunto, apontam para um dos princípios fundamentais da Maçonaria: a morte é a derradeira igualdade entre os homens.
   Na Bíblia, o Capítulo 12, Versículo 7 do livro do Eclesiastes ensina como ocorre o fim da vida e aponta o destino final do espírito após a morte. 
   Clique no quadro abaixo para ouvir o versículo 7 do capítulo 12 do livro do Eclesiastes.
video
    Resumindo, os três primeiros graus do Rito Escocês Antigo e Aceito exaltam os valores relacionados à vida biológica, ao trabalho físico e à capacidade do Homem de construir-se moralmente.
    A partir do Grau 4 (Mestre Secreto) tem início os Altos Graus (ou Graus Superiores), os quais são um conjunto de ensinamentos cujo escopo ultrapassa os aspectos biológicos da vida.
  Clique no link abaixo e veja a relação dos Graus Superiores do Rito Escocês Antigo e Aceito.
Link para os => 33 graus do R:.E:.A:.A::.
  Os ensinamentos apresentados nos Altos Graus estendem-se nas áreas da Filosofia, Teologia, História, Política, Direito, além das antigas mitologias e tradições religiosas.
    A pedagogia dos Altos Graus utiliza alegorias que simbolizam valores de profundo caráter filosófico, religioso, moral e histórico.
   Entre os símbolos apresentados nos Altos Graus estão: a Arca da Aliança (ou Arca do Concerto), a Jerusalém Celeste, a águia bicéfala, a tetráctys, o Grande Acampamento e a cripta dos Grandes Filósofos.
arca dos hebreus
A Arca da Aliança era um dos principais
símbolos da antiga religião hebraica.
 
    A continuidade da caminhada maçônica até o Grau 33 (Grande Inspetor Geral) permite ao maçom um completo entendimento do real objetivo da Maçonaria e oferece as ferramentas necessárias ao auto-conhecimento e ao auto-aperfeiçoamento moral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A ADMINISTRAÇÃO DO CONSISTÓRIO Nº 1 AGRADECE A SUA PARTICIPAÇÃO.