segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Importância do Grau de Cavaleiro Kadosch (Grau 30)

    O Grau de Cavaleiro Kadosch (Grau 30) é o último grau do Rito Escocês Antigo e Aceito que o maçom cursa antes de poder pertencer a um Consistório de Príncipes do Real Segredo.
O Ilustre Conselho Filosófico de Kadosch Nº 1 é a Oficina Litúrgica responsável pela  elevação ao Grau 30 na cidade do Rio de Janeiro.

     Os estudos desse Grau são desenvolvidos de forma a que o maçom assimile a importância do conceito de Liberdade de Consciência, a fim de poder aprofundá-lo nos Graus de Grande Inspetor Inquisidor Comendador (Grau 31) e Sublime Príncipe do Real Segredo (Grau 32).
    Nesses estudos, o Cavaleiro Kadosch tem um contato mais detalhado com a Ordem dos Cavaleiros do Templo (Cavaleiros Templários), reconhecendo-a como uma digna inspiração para a História da Maçonaria.
A Ordem do Templários é uma importante referência do Grau 30.
   Com o estudo do Grau 30, o Rito Escocês Antigo e Aceito prepara seus iniciados no caminho do aprimoramento moral e filosófico, com o objetivo de aperfeiçoar suas virtudes, tanto no sentido de melhorar a si mesmo, como servir de exemplo e liderança para toda a sociedade.
Emblema do Grau 30.

6 comentários:

  1. Comandante-em -Chefe, Ir. Sacramento, Consistório Nº 1
    O Kadosch é a última Câmara Filosófica, além de ser a maior Escola de todas as Câmaras. O Kadosch, antigamente, se fazia em dois (2) longos anos, mas era importante. Hoje, com a modificações feitas pelo Santo Império, nos intertícios, o tempo do irmão nas Câmaras diminuiu e logo se chega ao Grau 33. Com isso, o interesse de alguns irmãos, nem chega a "criar vínculos", pois o maçom passa rápido por todos os graus...então vem a evasão e isso se sente no fim da linha ou como se diz, no "Ápice de Pirâmide". Mas, o Santo Império é o nosso maior Comando e muito operoso, experiente e com Soberanos Irmãos da mais elevada cultura e interesse pelo Rito, tendo à frente o Soberano Grande Comendador Dr. Enir de Jesus da Costa e Silva, um homem de grande envergadura moral e maçônica, como seus pares, portanto, se assim é, concordo que assim tem que ser. Então é aí que entra o seu magnífico trabalho nesse Blog do Consistório, pois cativa e prende os irmãos que realmente estão interessados, em vivenciar a beleza do nosso Rito Escocês Antigo e Aceito e quem não consegue ver ou ouvir, então segue seu rumo...
    Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Irmão Sangenis pelo apoio e participação.
    Receba nossa tríplice e fraternal abraço.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Ir:. Agradecemos seu conhecimento e ajuda.

    Lima Britto :. 30

    ResponderExcluir
  4. Poderoso irmão Comandante em Chefe, do Consistório n°1

    Surgiu-me uma dúvida, de semântica, sobre as palavras KADOSCH e KADOSH e seu uso pela Maçonaria nos Altos Corpos

    Alguns estudiosos da cultura maçônica, alegam que a palavra correta é KADOSH dentre eles o saudoso irmão Castellani e o Grande irmão escritor Rizzardo da Camino.

    Em vosso site, também o Consistório escreve KADOSH, que entendo ser o correto , pois que nome advindo do alfabeto hebreu.

    Pergunto-vos, porque em nossos Estatutos, e Regulamentos, estão grafados esse nome como KADOSCH ( acréscimo da letra C )?

    Aguardo vossas Luzes.


    ir.: Gustavo Velasquez Santos 33°

    ResponderExcluir
  5. Caro Irmão Velasquez, não tenho dúvidas de que a forma correta de escrever é Kadosh, sem a letra C.
    Creio que é necessário que seja feita a devida correção nos documentos do Supremo Conselho.
    Da minha parte, transmitirei essa questão aos membros do Sacro Colégio.
    Te agradeço a observação.
    Receba nosso tríplice abraço.
    MILTON ANTÔNIO GRAÇA DO SACRAMENTO
    Comandante-em-Chefe do Consistório N. 1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vos agradeço pela consideração em me responder...

      Excluir

A ADMINISTRAÇÃO DO CONSISTÓRIO Nº 1 AGRADECE A SUA PARTICIPAÇÃO.